quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Gira Mundo - Brasil - Bombinhas - SC


Um vídeo pequeno, mais simplesmente encantador...assim como Bombinhas!

No sul do Brasil, litoral Norte de Santa Catarina, está a cidade de Bombinhas.

Uma península encantadora, com 39 belas praias, com praias de águas transparentes, para mergulho, surf, esportes náuticos, delicosos banhos de mar.

Além de ser considerada Capital do Mergulho Ecológico, sua beleza natural, proporciona aventuras, como trilhas, escaladas, um lugar onde cada vez mais está sendo praticado o ecoturismo.

Além de todo esse patrimônio natural, a cultura açoriana ainda está presente na vida da população, deixando a cidade ainda mais encantadora!

Conta com excelentes hotéis e pousadas , restaurantes, bares, lojas, opções de lazer para todas a idades e infraestrutura para todos os tipos de eventos, durante o ano inteiro.

Considerada a 4º melhor praia do Brasil



maria tereza cichelli

Gira Mundo - O charme de Campos do Jordão, SP - Vídeo


Documentário



maria tereza cichelli

Mundo Animal - Os Animais e sua grandeza na Natureza - Vídeo


"Os Animais Selvagens nunca matam por divertimento, o Homem é a única criatura para quem a tortura e a morte dos seus semelhantes são divertidas por si." 

 James Froude

Gira Mundo - Foto - Nova Iorque


A biblioteca pública de Nova Iorque, 1991.

History In Pictures‏

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Gira Mundo - História - Teresina - Piauí


Fundação da Cidade Brasileira de Teresina, capital do Estado do Piauí 16-08-1852 

No dia 16 de agosto de 1852 era fundada a cidade de Teresina, capital do Piauí.

Trata-se da única capital nordestina que não está localizada no litoral.

A cidade possui em torno de 825 mil habitantes, porém, somada a população da região metropolitana, o número sobe para 1,1 milhão.

De acordo com o IPEA, Teresina é a terceira capital mais segura do Brasil, mas apresenta o segundo pior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) entre as capitais do nordeste.

O nome da cidade é uma homenagem a imperatriz Teresa Cristina Maria de Bourbon, ou seja, uma mistura das palavras Teresa e Cristina.

Ela também foi a primeira capital do Brasil especificamente planejada para substituir outra já existente.

Além do aeroporto Senador Petrônio Portella, a cidade também possui metrô, com nove estações.

Na economia, o destaque fica por conta da indústria têxtil, montadoras de bicicletas, bebidas, medicamentos, química, móveis e cerâmica.

A construção civil também está em ampla expansão.



maria tereza cichelli

Mundo Ciência - Atmosfera - Tempestade geomagnética


Forte tempestade geomagnética afeta a cidade de Toronto 16-08-1989

Uma tempestade geomagnética causada por uma grande tempestade solar X20 afetou microchips e provocou a suspensão da negociação de ações no mercado de Toronto em um dia como este, no ano de 1989. Esta foi a segunda explosão solar a afetar o Canadá. Poucos meses antes, no dia 6 de março, a tempestade X15 havia causado intensas auroras e uma tempestade geomagnética levou ao colapso do sistema de transmissão de energia elétrica da Hydro-Québec.

Por conta de tempestades solares como estas, empresas de energia na América do Norte, Reino Unido, Europa do Norte e de outros países têm tomado mais cuidado para avaliar os riscos de correntes geomagneticamente induzidas e passaram a desenvolver estratégias para minimizar os efeitos. Ambas as chamas solares eram parte do ciclo solar 22, o 22o. ciclo solar 22 desde 1755, quando começaram a ser registradas as atividades das manchas solares.



Tempestade geomagnética ou tempestade solar é uma perturbação temporária da magnetosfera da Terra causado por uma onda de choque do vento solar e/ou nuvem magnética que interage com o campo magnético da Terra. O aumento da pressão do vento solar inicialmente comprime a magnetosfera. O campo magnético do vento solar então interage com o campo magnético da Terra e transfere um aumento de energia na magnetosfera. Ambas as interações causam um aumento na circulação de plasma através da magnetosfera (impulsionado pelo aumento de campos elétricos no interior da magnetosfera) e um aumento da corrente eléctrica na ionosfera e magnetosfera.

Durante a fase principal de uma tempestade geomagnética, a corrente elétrica na magnetosfera cria uma força magnética que é empurrada para fora da fronteira entre a magnetosfera e o vento solar. A perturbação no meio interplanetário que aciona uma tempestade geomagnética pode ser uma ejeção de massa coronal (EMC) ou uma corrente de alta velocidade do vento solar proveniente de uma região da superfície do Sol com campo magnético fraco. A frequência de tempestades geomagnéticas aumenta e diminui com o ciclo das manchas solares. As tempestades impulsionadas por EMCs são mais comuns durante o máximo do ciclo solar e tempestades conduzidas por correntes de alta velocidade são mais comuns durante o mínimo do ciclo solar.

Existem vários fenômenos atmosféricos que tendem a ser associados com ou são causados por uma tempestade geomagnética, como evento de partícula solar, correntes induzidas geomagneticamente, perturbações ionosféricas que causam a cintilação de rádio e radar, interrupção da navegação por bússola magnética e auroras em latitudes muito mais baixas do que o normal. Durante o chamado "Evento Carrington", em 1859, auroras foram vistas no Havaí e redes de telégrafos queimaram. Em 1989, uma tempestade geomagnética energizou linhas de transmissão de energia que interromperam a distribuição de energia elétrica na maior parte da província de Quebec, no Canadá, e causou auroras que puderam ser vistas no Texas, sul dos Estados Unidos. Estima-se que o prejuízo financeiro que um evento semelhante ao que ocorreu em 1859 causaria na civilização moderna poderia chegar a 2,6 trilhões de dólares. Existe uma probabilidade de 12 % de que um evento parecido aconteça entre os anos de 2012 e 2022. Em 23 de julho de 2012, uma tempestade solar do "nível Carrington" foi observada e, por apenas duas semanas de diferença, o trajeto do fenômeno errou a trajetória da órbita da Terra. Informações sobre as observações deste evento foram compartilhadas publicamente pela primeira pela NASA em 28 de abril de 2014.

maria tereza cichelli

Mundo Bizarro - Cidade faz omelete com 10 mil ovos na Bélgica


Membros da "Fraternidade Mundial dos Cavaleiros da Omelete Gigante' prepararam nesta terça-feira (15) na Bélgica uma omelete feita de 10 mil ovos.

O feito, que é repetido anualmente há 22 anos, foi conseguido em uma rua da cidade de Malmedy e acompanhado por centenas de pessoas.

 Além de ovos, o prato levou bacon e ervas.

Ele foi feito em uma frigideira de 4 metros de diâmetro.

G1

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Arquitetura - História - Canal do Panamá


O canal do Panamá (em espanhol: Canal de Panamá) é um canal artificial de navios com 77,1 quilômetros de extensão, localizado no Panamá e que liga o oceano Atlântico (através do mar do Caribe) ao oceano Pacífico. O canal atravessa o istmo do Panamá e é uma travessia chave para o comércio marítimo internacional. Há bloqueios e eclusas em cada extremidade da travessia para levantar os navios até o lago Gatún, um lago artificial criado para reduzir a quantidade de trabalho necessário para a escavação do canal e que está localizado 26 metros acima do nível do mar. Os bloqueios iniciais tinham 33,5 metros de largura. Uma terceira faixa de eclusas, mais larga, foi construida e entre 2007 e 2016.

A França começou a construir o canal em 1802, mas teve que parar devido a problemas de engenharia e pela alta taxa de mortalidade de trabalhadores por doenças tropicais. Os Estados Unidos assumiram o projeto em 1904 e levaram uma década para concluir o canal, que foi inaugurado oficialmente em 15 de agosto de 1914. Um dos maiores e mais difíceis projetos de engenharia já realizados, o Canal do Panamá reduziu muito o tempo de viagem para se cruzar os oceanos Atlântico e Pacífico de navio, o que permitiu evitar a longa e perigosa rota do cabo Horn, no extremo sul da América do Sul, através da passagem de Drake ou do estreito de Magalhães. A passagem mais curta, mais rápida e mais segura para a Costa Oeste dos Estados Unidos e para os países banhados pelo Pacífico, permitiu que essas regiões se tornassem mais integradas à economia mundial. O tempo aproximado para cruzar o canal varia entre 20 e 30 horas.

À época da construção, a posse do território onde está o canal era dos colombianos, depois, dos franceses e dos estadunidenses. Os Estados Unidos continuaram a controlar a Zona do Canal do Panamá até a assinatura dos Tratados Torrijos-Carter, em 1977, que passaram o controle da passagem ao Panamá. Após um período de administração conjunta entre Estados Unidos e Panamá, o canal foi finalmente assumido pelo governo panamenho em 1999 e, agora, é gerenciado e operado pela Autoridade do Canal do Panamá, uma agência do governo do país.

O tráfego anual aumentou de cerca de 1.000 navios, quando o canal foi inaugurado em 1914, para 14.702 embarcações em 2008, sendo que a última medição registrou um total de 309,6 milhões de toneladas movimentadas. Até 2008, mais de 815 mil embarcações tinham passado pelo canal; os maiores navios que podem transitar do canal hoje são chamados de Post-Panamax. A Sociedade Americana de Engenheiros Civis classificou o canal do Panamá como uma das sete maravilhas do mundo moderno.



maria tereza cichelli

Gira Mundo - Foto - Paris


(1865) Rua do Cisne, Paris.

History In Pictures‏

Mundo Gira - História - Muro de Berlin


Com a rendição da Alemanha, em 8 de maio de 1945, os Países Aliados reuniram-se em Potsdam, entre 17 de julho e 2 de agosto de 1945, a fim de decidir o futuro do país derrotado. Assinaram a Conferência de Potsdam, que dividiu a Alemanha em quatro zonas, ocupadas pelos Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e União Soviética. A capital alemã, Berlim, foi também dividida entre as quatro potências.

As relações entre a União Soviética, comunista, e os outros três países Aliados, capitalistas, logo passaram de cooperativas para competitivas e agressivas. A possível reunificação alemã tornou-se distante, e a Alemanha acabou dividida em Oriental, comunista, e Ocidental, capitalista. Era o início da Guerra Fria, e Berlim era símbolo da polarização que o mundo vivia: também a cidade foi dividida em duas, seguindo a mesma lógica do restante do território alemão.

Na madrugada de 13 de agosto de 1961, o governo da República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) começou a construir um muro de arame farpado para separar a Berlim Ocidental da Oriental. Oficialmente, o objetivo era manter os habitantes da parte pertencente a República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental) fora da área de sua área de domínio e assim evitar que ‘fascistas’ tentassem sabotar o lado comunista. No entanto, era sobretudo com o grande número de moradores de Berlim Oriental que diariamente se mudava para a parte capitalista que os comunistas queriam acabar. Estima-se que cerca de 3,5 milhões de pessoas desrespeitaram as normas de emigração e deixaram a República Democrática Alemã antes da construção do muro.


Oficialmente chamado de Muro de Proteção Antifascista, a barreira tinha 66,5 km de extensão, 302 torres de observação e 127 redes metálicas electrificadas. Um posto militar conhecido como Checkpoint Charlie era o único ponto de travessia para estrangeiros e membros das forças Aliadas. A patrulha ficava por conta de militares da Alemanha Oriental que, acompanhados de seus cães de guarda, tinham ordens para atirar naqueles que tentassem atravessar. Tal ordem ficou conhecida como “Ordem 101”, ou Schießbefehl, em alemão, e resultou na morte de 136 pessoas entre 1961 e 1989, ano da queda do muro. Cerca de outras 200 ficaram feridas e 300 foram presas, mas, ainda assim, 5.000 pessoas atravessaram de Berlim Oriental para Berlim Ocidental ao longo dos 28 anos em que o muro dividiu a cidade.

Além do espaço, o Muro de Berlim causou uma separação ainda mais violenta: dezenas de milhares de famílias e amigos, um de cada lado da muralha, passaram quase três décadas sem se ver.

O dia 9 de novembro de 1989 marca a queda do muro, que foi destruído pela própria população quando o Partido Comunista da Alemanha Oriental anunciou, após um longo processo de negociação com o mundo ocidental, que a população poderia atravessar a fronteira para a República Federal da Alemanha livremente. No entanto, a muralha só começou a ser oficialmente demolida em 13 de junho de 1990.

A queda do muro de Berlim, símbolo da Guerra Fria, foi comemorada no mundo capitalista, pois representava a derrota do comunismo e a proximidade do fim da polarização do mundo.



maria tereza cichelli
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...